Connect with us

Brasil

Distrito Federal realiza 1,4 mil atendimentos contra a dengue em tendas neste sábado – Notícias

Published

on

Distrito Federal realiza 1,4 mil atendimentos contra a dengue em tendas neste sábado – Notícias

[ad_1]




A rede pública de saúde do Distrito Federal realizou, neste sábado, quase 1,4 mil atendimentos em noves tendas contra a dengue espalhadas na capital do país. O número considera os atendimentos realizados até às 17h, segundo a Secretaria de Saúde, e faz parte de um conjunto de medidas adotadas pela pasta depois que o DF notificar 7,7 mil casos suspeitos da doença nas duas primeiras semanas do ano, uma alta de mais que 400% em comparação a 2023.





As tendas começaram a atender os pacientes com suspeita da doença neste sábado e são destinadas à orientação da população e hidratação com soro no caso dos infectados. A estrutura foi montada ao lado da administração regional de Ceilândia, Samambaia, Sol Nascente, Brazlândia, Taguatinga, Santa Maria, Recanto das Emas, São Sebastião, Estrutural e Sobradinho.


Para a secretária de saúde, Lucilene Florêncio, junto com a população, será possível que o governo “enfrente esse momento” de alto índice da doença. Para o combate ao mosquito, o Serviço de Limpeza Urbana está limpando pontos de descarte irregular de lixo na capital do país.


• Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

• Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

• Compartilhe esta notícia pelo Telegram

• Assine a newsletter R7 em Ponto


E para acolher a população, a Defesa Civil também está atuando com tendas itinerantes. Outra medida foi a ampliação do atendimento das Unidades Básicas de Saúde. Hoje, o DF conta com 176 unidades básicas, sendo que 11 ficam abertas até às 22h. Aos sábados, 52 abrem das 7h às 12h. E, a partir deste fim de semana, cinco unidades funcionam aos sábados e domingos, das 7h às 19h (confira lista aqui).



Outras medidas



No começo dessa semana, o secretário-chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, pediu a cooperação da população no combate ao Aedes aegypti. “Há moradores que impedem a entrada dos bombeiros nas casas para verificar os focos de dengue. Precisamos de ajuda. O governo sozinho não consegue acessar todos os lugares”, disse Rocha.


Segundo ele, o governo investiu R$ 5 milhões em campanhas de comunicação contra a doença que começam a circular este fim de semana. “Também vamos ter um carro de fumacê fixo em cada região administrativa, e teremos carros de som nas regiões administrativas orientando a população, indicando os locais de atendimento e alertando sobre os sintomas”, declarou.


Além disso, no dia  12 de janeiro, a vice-governadora Celina Leão (PP) enviou ao Ministério da Saúde um ofício pedindo a antecipação do cronograma de vacinação contra a dengue no DF. O pedido, no entanto, ainda não teve retorno.


A vacina da dengue foi incorporada no Brasil pelo Ministério da Saúde no SUS no fim do ano passado. A pasta informou, no último dia 15, que crianças e adolescentes entre 6 e 16 anos são a faixa etária prioritária para a vacinação contra a doença. A expectativa do governo federal é imunizar 3 milhões de brasileiros em 2024.



Fique atento



Principais sintomas:


• Febre alta de início abrupto (acima de 39°C);

• Calafrios;

• Aumento dos linfonodos;

• Dor de cabeça;

• Fraqueza extrema;

• Dores no corpo e nas juntas;

• Dor atrás dos olhos;

• Pressão baixa; e

• Batimentos cardíacos lentos (bradicardia).


Em caso de suspeita da dengue, moradores do DF podem ligar ao telefone 199 da Defesa Civil para pedir orientação, buscar diretamente atendimento em alguma tenda de hidratação ou nas unidades básicas.


Também é importante ficar alerta aos sinais mais graves da infecção, como vômito com sangue; urina com sangue; fezes escuras; dor abdominal persistente; e sangramento na gengiva, por exemplo.

[ad_2]

Continue Reading
Advertisement
Clique para comentar

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Revista Plateia © 2024 Todos os direitos reservados. Expediente: Nardel Azuoz - Jornalista e Editor Chefe . E-mail: redacao@redebcn.com.br - Tel. 11 2825-4686 WHATSAPP Política de Privacidade